SONORA COLETIVA

O jornalista Wilfred Gadelha é o convidado do Sonora Coletiva no Canal multiHlab, do ProfSocio/Fundaj, na próxima quinta (dia 27), às 19h, que terá a participação especial de Fred Creder, ex-baterista da banda Herdeiros de Lúcifer

 

Há quem pense e propague que entre a chamada cena musical psicodélica pernambucana da década de 1970 e a cena mangue dos anos 1990, em Pernambuco, e em particular no Recife, nada acontecia em termos de agitação cultural e musical. Nada mais enganoso. Ainda que tendo características diferentes em relação àquelas cenas, a década de 1980 marcou o surgimento e a consolidação de uma outra, bem agitada e pesada, que pode ser chamada de forma mais geral de ‘cena metal’.

 

Dos pioneiros shows da banda Herdeiros de Lúcifer, em 1983, passando pela inusitada apresentação do Sepultura, em 1987, em Caruaru, e as noites dedicadas ao metal, ao punk e outros gêneros pesados do Abril Pro Rock, ainda hoje, muita história rolou. Para o jornalista Wilfred Gadelha, autor do livro PESADO – Origem e consolidação do metal em Pernambuco (2ª ed., CEPE, 2018) e roteirista do documentário PESADO – Que som é esse que vem de Pernambuco (2017), “Os Herdeiros de Lúcifer não surgiram do nada. Ainda que seja considerada a primeira banda de heavy metal, alguns experimentos pesados já faziam a cabeça do pessoal antenado do Recife, como, por exemplo, as bandas Phetus, Aratanha Azul e Cães Mortos, ainda nos anos de 1970”.

 

Gadelha, que participou e ainda participa da cena metal como membro de diversas bandas, lembra ainda que alguns dos participantes da chamada cena mangue também fizeram parte de bandas de metal ou punk antes mesmo dos anos 1990. Essa história é o mote para o bate-papo com Wilfred Gadelha que acontecerá na quinta-feira (dia 27), às 19h, com transmissão pelo Canal multiHlab, no YouTube, como parte das atividades do Sonora Coletiva, vinculado à Revista Coletiva, da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). E terá ainda a participação muito especial de Fred Creder, ex-baterista da banda pioneira de heavy metal em Pernambuco, a Herdeiros de Lúcifer, hoje morando em Manaus.

 

Os dois convidados conversarão com os pesquisadores Allan Monteiro, Cristiano Borba e Túlio Velho Barreto, que vêm desenvolvendo atividades no Núcleo de Imagem, Memória e História Oral (NIMHO), do Centro de Documentação e de Estudos da História Brasileira (Cehibra), coordenado por pesquisadores da Fundaj, entre eles Sylvia Couceiro e Cristiano Borba, registrando depoimentos de pessoas que trabalharam com música em Pernambuco no período de 1970 e 2000.

 

Saiba mais

 

SONORA COLETIVA​ é o canal experimental da revista eletrônica de divulgação científica COLETIVA, publicada pela Fundaj. Sediada no Recife, a revista disponibiliza dossiês temáticos com uma perspectiva de diálogo entre saberes acadêmicos e outras formas de conhecimento, prezando pela diversidade sociocultural e liberdade de expressão. É voltada para um público amplo, curioso e crítico. O projeto integra o ProfSocio, o multiHlab e a Villa Digital, envolvendo ainda as diversas diretorias da Fundaj.

 

Serviço SONORA COLETIVA conversa com WILFRED GADELHA Participação especial de Fred Creder Com Allan Monteiro, Cristiano Borba e Túlio Velho Barreto Data: 27 de maio de 2021 (quinta-feira) Horário: 19h Transmissão: Canal multiHlab | Sonora Coletiva.

MARCA PREFERENCIAL PNG (1).png