SONORA COLETIVA

A jornalista Lorena Calábria é a convidada do Sonora Coletiva no Canal multiHlab, do ProfSocio/Fundaj, na próxima quinta (dia 29), às 19h, que terá ainda a participação especial de H. D. Mabuse.

 

Há exatos 27 anos, chegava às lojas um álbum que transformaria a música no Brasil, mas também lá fora: DA LAMA AO CAOS, da banda CHICO SCIENCE & NAÇÃO ZUMBI.

 

Considerado pela revista Rolling Stone o 13º álbum mais importante lançado no país em todos os tempos, a partir de consulta a 60 especialistas musicais, entre estudiosos, pesquisadores e jornalistas, o disco chamava, definitivamente, a atenção do Brasil e do mundo para uma cena cultural iniciada poucos antes no Recife. Assim, a chamada cena Mangue, uma espécie de insurreição musical e estética coletiva extrapolava as noites de Recife para o primeiro show em São Paulo e uma imersão no lendário estúdio Nas Nuvens, no Rio de Janeiro, e seria produzido pelo igualmente lendário Liminha.  

 

A mistura de rock, hip hop, funk e ritmos pernambucanos, como maracatu, ciranda e coco, ficou conhecida como Manguebeat e alcançou projeção internacional. As histórias dessa “diversão levada a sério”, como costumava dizer Chico Science, desde as primeiras festas em Recife no inferninho Adília’s Place até o trágico acidente do líder da banda, foram contadas de forma precisa e deliciosa pela jornalista Lorena Calábria em livro homônimo, que faz parte da coleção “O Disco do Livro”, da editora Cobogó. A partir de conversas e entrevistas com os músicos e parceiros de bandas, familiares e pessoas que fizeram parte da trajetória do álbum, a jornalista resgata a atmosfera da época para dar o tom do que significou o Manguebeat – e o lançamento de Da lama ao caos – na música brasileira.

 

O bate-papo com Lorena Calábria, que terá a participação ainda para lá de especial de H. D. Mabuse, um dos artífices daquela cena, acontecerá na quinta-feira (dia 29), às 19h, e será transmitido pelo Canal multiHlab, no YouTube, como parte das atividades do Sonora Coletiva, vinculado à Revista Coletiva, da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj).

 

Participarão da conversa os pesquisadores Allan Monteiro, Cristiano Borba e Túlio Velho Barreto, que vêm desenvolvendo atividades no âmbito do Núcleo de Imagem, Memória e História Oral (NIMHO), do Centro de Documentação e de Estudos da História Brasileira (Cehibra), coordenado por pesquisadores da Fundaj, entre eles Sylvia Couceiro e Cristiano Borba, registrando depoimentos de personagens que fizeram trabalharam com música em Pernambuco entre 1970 e 2000.  

 

Para o pesquisador Túlio Velho Barreto, “o ótimo livro da jornalista Lorene Calábria faz total justiça ao álbum Da Lama ao Caos. Trata-se do mais bem feito e preciso registro da chamada cena Mangue, e não só do álbum ali abordado. É uma obra que chega ao grande público, diferente de importantes trabalhos acadêmicos feitos pelo Brasil afora acerca da cena e de seus diversificados produtos, não só musicais, de circulação mais restrita. Além disso, nesse Sonora teremos a participação muito especial de um dos mais próximos amigos de Chico Science, Mabuse, um dos principais artífices daquela cena”.  

 

Lorena Calábria é jornalista de cultura, formada em Comunicação Social pela UERJ. Desde 1985, vem atuando em TV, rádio, web e mídia impressa. Trabalhou como repórter na revista Bizz (Editora Abril), TPM (Editora Trip) e Revista da Folha. Escreveu e/ou apresentou diversos programas, como Som Maior (Rede Manchete), Clip Clip (Rede Globo), Cine MTV, Metrópolis (TV Cultura), Ensaio Geral (Multishow), Rádio Café (Oi FM), Sonora Live (portal Terra), entre outros. Atualmente, dirige e roteiriza projetos de audiovisual na sua produtora, La Strada, e está à frente da edição de conteúdo do clube de vinil da Três Selos em sua versão 2021.  

 

Saiba mais:

 

SONORA COLETIVA é o canal experimental da revista eletrônica de divulgação científica COLETIVA, publicada pela Fundaj. Sediada no Recife, a revista disponibiliza dossiês temáticos com uma perspectiva de diálogo entre saberes acadêmicos e outras formas de conhecimento, prezando pela diversidade sociocultural e liberdade de expressão. É voltada para um público amplo, curioso e crítico. O projeto integra o ProfSocio, o multiHlab e a Villa Digital, envolvendo as diversas diretorias da Fundaj.  

 

Serviço:

 

SONORA COLETIVA conversa com LORENA CALÁBRIA Participação especial de H. D. Mabuse Com Allan Monteiro, Cristiano Borba e Túlio Velho Barreto Data: 29 de abril de 2021 (quinta-feira) Horário: 19h Transmissão: Canal multiHlab | Sonora Coletiva

MARCA PREFERENCIAL PNG (1).png