SONORA COLETIVA

O bate-papo com Maurício Pereira será na quinta-feira (dia 29), às 19h, aqui no Canal Sonora Coletiva / multiHlab.  Sua realização integra as atividades do Sonora Coletiva, vinculado à revista Coletiva, da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). Na ocasião, o músico paulistano conversará com os pesquisadores Allan Monteiro, Cristiano Borba e Túlio Velho Barreto, que vêm desenvolvendo atividades no Núcleo de Imagem, Memória e História Oral (NIMHO), do Centro de Documentação e de Estudos da História Brasileira (Cehibra), coordenado por pesquisadores da Fundaj, entre eles Sylvia Couceiro e Cristiano Borba, registrando depoimentos de músicos, compositores e pessoas que fizeram e trabalharam com música em Pernambuco, no período de 1970 e 2000. 

 

Na esteira da chamada “Vanguarda Paulistana”, que apresentou ao país, entre outros, Arrigo Barnabé e Itamar Assumpção, e as bandas Premeditando o Breque e Grupo Rumo, os músicos paulistanos Maurício Pereira e André Abujamra deram vida à icônica banda Os Mulheres Negras. De nome e sonoridade estranhas, diga-se de passagem, a banda radicalizou ainda mais o som e a teatralidade expostas pelos líderes daquele movimento. Em termos musicais e cênicos, finda a trajetória inicial da banda, que gerou dois álbuns seminais (Música e Ciência; e Música serve pra isso), Maurício Pereira não estacionou ali, naquela que é tida pelos economistas como a “década perdida”. Assim, foi mais além e manteve a mesma verve musical e teatral nos anos seguintes. Desde então, lançou vários álbuns solos, o último em 2018, “Outono no Sudeste”, recentemente relançado em vinil.

 

SAIBA MAIS:

 

MAURÍCIO PEREIRA tem sete discos solos gravados, entre vinis e CDs, todos distribuídos pela Tratore e disponíveis em streaming. Suas composições têm sido gravadas por artistas como Metá Metá e Maria Gadu, entre outros. Nos anos de 1980 criou a icônica banda Os Mulheres Negras com André Abujamra. Na década seguinte, foi cantor do programa Fanzine, de Marcelo Rubens Paiva, na TV Cultura, e um dos pioneiros na internet, fazendo o primeiro show brasileiro ao vivo na rede. Faz palestras e oficinas sobre música, além de produzir conteúdo para cinema, teatro e imprensa. É também ator e locutor, tem vários shows em cartaz, tanto os de seus discos autorais, quanto em parceria com artistas como Paulo Freire, Wandi Doratiotto, Arthur de Faria, Tim Bernardes (O Terno).

 

 

SONORA COLETIVA é o canal experimental da revista eletrônica de divulgação científica COLETIVA, publicada pela Fundaj. Sediada no Recife, a revista disponibiliza dossiês temáticos com uma perspectiva de diálogo entre saberes acadêmicos e outras formas de conhecimento, prezando pela diversidade sociocultural e liberdade de expressão. É voltada para um público amplo, curioso e crítico. O projeto integra o ProfSocio, o multiHlab e a Villa Digital, envolvendo ainda as diversas diretorias da Fundaj.

MARCA PREFERENCIAL PNG (1).png