SONORA COLETIVA

Em outubro deste ano, o compositor e cantor cearense Belchior completaria 75 anos. Com uma das obras mais originais e instigantes da música popular brasileira, que nos legou canções clássicas como “Apenas um Rapaz Latino-Americano”, “Alucinação”, “Como os Nossos Pais”, “Velha Roupa Colorida”, “Coração Selvagem”, “Tudo Outra Vez”, “Galos, Noites e Quintais”, entre tantas outras, Belchior passou os últimos dez anos de sua vida recluso e praticamente como um andarilho. Longe dos holofotes do show business e da mídia, peregrinou pelo Uruguai e pelo Sul do Brasil, onde faleceu, em 2017.

 

Lançar uma luz sobre os últimos anos desse artista ímpar da MPB levou a jornalista e escritora Chris Fuscaldo e o também jornalista e escritor Marcelo Bortoloti a trilharem os mesmos passos de Belchior e a escreverem o livro “Viver é melhor que sonhar”, lançado já durante a pandemia. O livro e a obra do compositor e cantor cearense serão abordados no próximo Sonora Coletiva, dia 21 (quinta-feira), a partir das 19 horas. O bate-papo terá a participação mais que especial do músico pernambucano Juvenil Silva, que tem um projeto, paralelo à sua carreira artística solo, em torno da música de Belchior, A Banda dos Corações Selvagens, criada em 2016.

 

Segundo Chris Fuscaldo, o livro “Viver é Melhor que Sonhar - Os últimos caminhos de Belchior” (Ed. Sonora), escrito a quatro mãos com o também doutor em Literatura Marcelo Bortoloti,  é um “road book e foi concebido enquanto seguíamos as paralelas que o artista percorreu e as pegadas que deixou”. Com ampla divulgação na mídia, o livro teve seus direitos vendidos para a Urca Filmes – que vai adaptar a história de Belchior para longa-metragem – e os autores assumiram a pesquisa na série “Procurando Belchior”, dirigida por Eduardo Albergaria e coprodução entre a Urca Filmes e o Canal Brasil.

 

Com a participação especial de Juvenil Silva no bate-papo, o Sonora Coletiva terá a presença de um dos artistas mais profícuos da cena pós-Manguebeat no Recife. Com trabalho autoral que gerou os seus primeiros álbuns em mídias físicas e vários outros disponíveis nas plataformas digitais, além daqueles produzidos durante a pandemia e que podem ser adquiridos em suas redes sociais, Juvenil Silva lidera A Banda dos Corações Selvagens, criada um ano antes da morte de Belchior. Com o projeto, Juvenil Silva já se apresentou no Recife e em outras cidades do país fazendo uma releitura original da obra do artista cearense com um groove mais roqueiro e psicodélico.

 

SAIBA MAIS:

 

SONORA COLETIVA é o canal experimental da revista eletrônica de divulgação científica COLETIVA, publicada pela Fundaj. Sediada no Recife, a revista disponibiliza dossiês temáticos com uma perspectiva de diálogo entre saberes acadêmicos e outras formas de conhecimento, prezando pela diversidade sociocultural e liberdade de expressão. É voltada para um público amplo, curioso e crítico. O projeto integra o ProfSocio, o multiHlab e a Villa Digital, envolvendo ainda as diversas diretorias da Fundaj.

SERVIÇO:

LIVE – Belchior. Viver é melhor que sonhar

SONORA COLETIVA conversa com CHRIS FUSCALDO

Participação Especial de JUVENIL SILVA

21 OUTUBRO (quinta-feira) - 19h - Canal do multiHlab no YouTube

Participações - Allan Monteiro, Cristiano Borba e Túlio Velho Barreto (Fundaj)

MARCA PREFERENCIAL PNG (1).png