ISSN 2179-1287

O caso Ruby Bridges: violência escolar e racismo nos EUA

 

Paloma de Castro e Pedro Silveira

 

Ruby Bridges foi a primeira criança negra a frequentar uma escola só para brancos no sul dos Estados Unidos. Ruby nasceu em 1954, mesmo ano em que a Corte Suprema dos EUA declarava o fim da separação de escolas por critério racial. Apesar disso, o estado de Louisiana, onde a menina vivia, retardou ao máximo a aplicação dessa decisão. Com seis anos de idade, seus pais decidiram matriculá-la numa escola onde só estudavam brancos. Ruby passou no teste da escola William Frantz na cidade de Nova Orleans e lá ingressou em novembro de 1960.

A presença de uma criança negra em uma escola até então só para brancos causou furor entre a comunidade branca da região. Nos primeiros dias de aula, Ruby teve de ser escoltada por quatro agentes federais para entrar na escola, sob protestos de brancos da cidade. Após o ingresso da menina, o movimento anti-integracionista influenciou os pais dos demais alunos a tirarem seus filhos da escola. O ano terminou com apenas Ruby Bridges tendo aulas em sua classe, com a única professora da escola que aceitou lecionar para a menina. As consequências psicológicas da hostilização por que passou foram sérias para a Ruby, que nunca desistiu de estudar. Seus familiares sofreram represálias, tendo seu pai perdido o emprego e seus avós expulsos da terra onde viviam.

A história da menina Ruby Bridges tornou-se um caso exemplar na luta por direitos civis dos afro-norte-americanos e até os dias de hoje Ruby dá palestras sobre a sua participação neste movimento.

Apresentamos abaixo quatro imagens significativas desta história. As três primeiras são fotografias do ingresso de Ruby na escola William Frantz e a última uma pintura que o artista plástico Norman Rockwell produziu em 1963, representando este episódio. Esse quadro encontra-se desde 2011 exposto na Casa Branca.

A menina Ruby sendo escoltada por agentes federais em seu primeiro dia de aula | FOTO: Frank Methe/The Times-Picayune/Landov, disponível na internet em: <www.scholastic.com>

 

Protestos de cidadãos brancos anti-integracionistas contra a entrada de Ruby na escola William Frantz | FOTO: Bettmann/Corbis, disponível na internet em: <www.scholastic.com>

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ruby tendo aulas sozinha com sua professora Barbara Henry em seu primeiro ano na escola William Frantz | FOTO: Acervo pessoal de Barbara Henry, obtida na internet em: <www.scholastic.com>

 

“The trouble we all live in” (O problema em que todos vivemos), pintura à óleo de Norman Rockwell, de 1963. Retrata o primeiro dia de aula de Ruby Bridges e encontra-se exposta na Casa Branca | Imagem disponível na página do Norman Rockwell Museum, <www.nrm.org>

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Para saber mais:

Livro (em inglês): Bridges, Ruby e Lundell, Margo. Through my eyes. Scholastic Press, 1999.

Filme: A história de Ruby Bridges, de Euzhan Palcy. Com Michael Beach e Lela Rochon. Disney Fimes, 1998.

 

MAPA DO SITE

APOIO

Labjor
 

REALIZAÇÃO

Fundação Joaquim Nabuco Ministério da Educação Brasil - Governo Federal